sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

A Importância da Leitura

Utilizamos a leitura em vários locais e com diversas finalidades em nossas vidas: no trabalho, na escola, no lazer ou em casa. A formação do leitor geralmente inicia-se desde a mais terna idade, e amplia-se no âmbito escolar.
            Entretanto, o ato de ler não pode ser delegado somente à escola, deve ser uma parceria entre escola e família. Quando a família participa da educação das crianças, elas podem sair-se muito melhor na escola e na vida. Pesquisas mostram que o envolvimento da família na vida escolar das crianças é imprescindível. A família é capaz de despertar o interesse e a curiosidade delas e incentivar a sua aprendizagem. Por esse motivo, o seu compromisso é indispensável.
            Os familiares deveriam ser os primeiros mediadores de leitura, pois são os primeiros elos da criança com o mundo, entretanto os pais, não têm a dimensão da influência que podem exercer sobre as crianças, no sentido de motivá-las à leitura. Em decorrência disso, o professor é encarregado compulsoriamente de aproximar o educando da leitura.
            O educador tem importante papel na formação de alunos leitores. Para tanto, se faz necessário adotar práticas que despertem o interesse, a imaginação e o gosto pela leitura. Além de, priorizar o entendimento e a compreensão do que está sendo lido.
            É fundamental que o professor faça esta mediação, mostrando o texto como algo prazeroso e não como instrumento de avaliação e tarefa. Se o professor não for crítico, sensível, consciente e um bom leitor, jamais poderá passar o prazer do texto aos seus alunos.
            A leitura pode exercer diferentes funções na escola, como informar, educar, entreter, persuadir ou expressar uma opinião ou ideia. O leitor crítico é aquele que cria seu próprio texto com base no que foi lido, concordando ou discordando da ideia principal.
            Aprender a ler e se tornar um leitor crítico que além de realizar leitura compreende o texto, exige empenho, tanto por parte do aluno quanto por parte de quem propõe o trabalho com a leitura. É preciso que ambos entendam que não se lê só para aprender a ler, mas sim para responder as suas necessidades pessoais, tornando-se sujeito capaz de interagir com o mundo e nele atuar como cidadão.
            Na formação do leitor crítico, é pertinente considerar que formar um leitor com esta característica é também desenvolver uma prática de leitura que desperte e cultive o desejo de ler, ou seja, uma prática pedagógica eficiente que dê suporte ao aluno para realizar o esforço intelectual de ler não só textos simples, mas que proporcione a progressividade das leituras, visando capacitar o leitor para textos cada vez mais complexos.
            Entendo que na atualidade há uma grande necessidade de formar leitores críticos. Fazer do aluno um leitor com este perfil é uma urgência dentro das instituições escolares, pois o rendimento escolar de determinados alunos é marcado pelo fracasso, em virtude de não serem bons leitores e consequentemente, bons interpretadores de textos e/ou enunciados, que não estão presentes só em Língua Portuguesa, mas em todas as disciplinas do currículo escolar. Desenvolvendo habilidades de leitura crítica, certamente este aluno passará a ter desempenho melhor nas demais disciplinas com as quais tem contato na escola.
            Partindo desse pressuposto, é de suma importância que a escola ofereça condições para que se realize a leitura no seu contexto, dispondo de biblioteca ou sala especializada para tal atividade. Se a instituição dispõe deste espaço, já terá dado um importante passo para a formação do leitor crítico. Um ambiente propício para desenvolver a leitura na escola, favorece as atividades pedagógicas.
            Entretanto, se a instituição não dispor deste espaço, não é motivo para não realizar trabalhos com leitura,  pois mais significativo do que o local é o trabalho e/ou as atividades que se materializam para seduzir os alunos para o hábito da leitura crítica.
           Contudo, posso dizer que a leitura torna nosso conhecimento mais amplo e diversificado. Ler é essencial. Os livros partilham sentimentos e pensamentos, colocam-nos em outros tempos, outros lugares, outras culturas, ajudam-nos a sonhar, fazem-nos pensar.
Nada desenvolve mais a capacidade verbal que a leitura. Ler e escrever são complementares. Um bom escritor é, sobretudo um bom leitor.

Um comentário:

  1. REGULAMENTO DO “IX CONCURSO PLÍNIO MOTTA DE POESIAS”

    A Academia Machadense de Letras (Machado-MG / Brasil) comunica a realização em novembro de 2013 de seu IX Concurso de Poesias. As inscrições encerram-se no dia 14 de outubro (2013). Para receber gratuitamente o regulamento em arquivo PDF, entre outras informações, favor entrar em contato através do e-mail: machadocultural@gmail.com

    Obs (PS): O tema é livre e aberto a todos de Língua Portuguesa e Espanhola e a taxa de inscrição é de R$5,00 pode ser enviada dentro do envelope.

    Favor verificar o recebimento do regulamento em pdf e jpeg. Estarei aqui para novos esclarecimentos. Caso sua poesia seja classificada e você não puder aparecer, a Academia indicará um membro para declamá-la.
    O concurso será realizado no dia 09 de novembro, às 20:00hs no Anfiteatro da Prefeitura Municipal de Machado-MG.

    ResponderExcluir